quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Neurótica? Eu?


Hoje começa um novo semestre na faculdade. Foi minha primeira aula e começou com uma super professora, extremamente renomada. Aula muito agradável, cheia de dinâmicas, muito diálogo e explicações sobre o semestre vindouro.

Entre os assuntos tratados, a professora falava do quanto é importante estarmos inteiros no momento que estivermos. No caso, se estamos na sala de aula, desliga internet, facebook, celular e presta atenção, participa e aproveita tudo que está sendo oferecido. Até concordo! Acaba distraindo mesmo. E ela tem razão pois, às vezes, navegar pela internet em aulas muito chatas é extremamente bem vindo.

Até que de repente ela solta: “Neurótico é aquele que nunca está onde está.” Para tudo!!! Serei eu uma neurótica? Há cura? Será que eu quero ser curada? (Risos.)

Calma! Posso explicar. É que eu sou o tipo de pessoa que faz um monte de coisas ao mesmo tempo. Sou capaz de dirigir, atender o celular, anotar uma anotação, brigar com o menino dentro do carro e ainda sorrir pra pessoa que parou do meu lado no semáforo.

Também sou capaz de estar na sala de aula, anotar a matéria, entrar na internet pra pesquisar o significado de alguma palavra desconhecida, responder o SMS de uma amiga, responder a pergunta da colega do lado e fazer um check in no Foursquare. E se a professora me perguntar sobre o que estava falando, sei responder tim tim por tim tim.

Nesse momento mesmo... estou deitada, escrevendo esse texto, assistindo o filme do Chico Xavier na TV, respondendo as notificações do Facebook e, de quando em quando, entro na aba do Twitter pra dar uma atualizada nas notícias.

Não é que eu não esteja onde eu estou, sabe? Na verdade, eu estou em vários lugares ao mesmo tempo. Sabe, assim... tipo Deus? (Risos. Muitos risos.) Perdão, Senhor, mas eu realmente não consigo fazer uma coisa só. Sei lá o porquê! Mas eu perco totalmente o raciocínio.

Talvez seja culpa da minha intensidade. Tudo pra mim é muito, tem que ser muito. Se não for, não me interessa. Eu gosto de grandes amores, de fortes emoções, de muita informação, de vastos horizontes... e um tanto mais. Até pra ler um livro, tenho que ler três na mesma época. Se eu pegar um só, não consigo terminar. Acredita? É fato.

Esses dias eu li uma coisa que achei a minha cara: “Eu sou multipolar. Porque bipolar é pouco demais pra mim.” (Risos.) Brincadeiras à parte, é pura verdade!

A questão é que o marasmo me incomoda e eu acho que vou sofrer na mão dessa professora, porque ela quer toda a minha concentração. A mulher gosta de exclusividade!!! O que me consola é que estou num curso de Psicologia e que ela já deve ter pego algumas figurinhas dessas pela longa caminhada dela nesse meio. E se não viu ainda, lembro-me bem dela dizer também que adora um desafio.

Então, começamos bem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário