domingo, 11 de maio de 2014

Ser Mãe


Conversando com uma amiga essa semana no intervalo da faculdade, ela estava me dizendo o quanto eu transpareço a minha realização por ser mãe. Não é a primeira vez que ouço isso. De fato, ser mãe é a maior de todas as realizações da minha vida.
Antes de engravidar, eu conversava com Deus: “Pai, se o Senhor quiser me dar um castigo nessa vida, me coloque estéril nesse mundo.” E Ele foi tão generoso comigo que me deu três meninos saudáveis, lindos por dentro e por fora e que me abastecem de amor e felicidade.
Vejo tanta gente dizer que não quer filhos ou que acham um absurdo me ver com três nos tempos atuais. E meninos, quando existe uma crença que criar homens é mais trabalhoso. Não vejo a menor dificuldade nisso!
Não que meus meninos não sejam trabalhosos, mas me dão o trabalho que as crianças em geral dão, independente do gênero. Algo que já era esperado, previsto. A gente sabe que cada fase tem certa dedicação, algumas exigem maior cuidado, outras menos.
Não que às vezes eu não sinta vontade de ter um tempo só pra mim ou vontade de não ter que me preocupar em dar água nem a um perequito. Sim, sinto falta às vezes. Mas é tão raro!!! Meus filhos não me sobrecarregam. Ao contrário, ele recarregam minha bateria na grande maioria das vezes.
Não que eu não encontre algumas dificuldades e incertezas no caminho nessa missão de ser mãe. Seria tão mais fácil se houvesse um manual de instruções ou uma fórmula certa, né? Porém, estamos falando de seres humanos, cada qual com sua personalidade, sua singularidade e suas necessidades. Teríamos, nesse caso, que ter três manuais diferentes. Rsrs...
Eu sei que o mundo está louco, desgovernado, que a violência aumentou, que as drogas estão cada vez mais próximas de nós... porém minha Síndrome de Poliana permanece ativa e continuo vendo tudo pelo lado bom. Acho legal a gente possa valorizar o que é bom quando olhamos tantas coisas ruins à nossa volta. Isso faz o bom ficar ainda mais especial.
O mais interessante nessa tarefa de ser mãe é o quanto a gente aprende. Embora pareça que somos uma espécie de professoras, a gama de informações que eles nos passam e experiências que eles nos permitem vivenciar, é muito maior do que passamos pra eles.
Pensando nessa conversa, tudo que posso dizer é que sou sim uma mãe realizada. A Deus só tenho que agradecer imensamente e pedir que esteja sempre de mãos dadas comigo me dando muita sabedoria nessa tarefa que Ele me confiou e protengendo meus tesouros das maldades desse mundo.
Aos meus filhos... Nossa! O que dizer? Sem palavras pra expressar o tamanho desse amor e dessa gratidão por tudo que eles são, fazem e representam na minha vida. São partes do meu todo, as quais são essenciais para o meu bem viver.
E que possamos estar sempre juntos, sendo apoio um para o outro nos percalços do caminho, nos amando e respeitando para o todo o sempre, seguindo pelo caminho do coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário