segunda-feira, 19 de maio de 2014

Qual seria o verbo?



Ouvi dizer que a maior questão do ser humano está em Ser ou Não Ser? Shakspeare em sua peça “A tragédia de Hamlet” dramatizou com tamanha beleza que seu feito se eternizou no tempo.
Porém fico pensando... Será que a questão do ser humano não seria outra? Será que o verbo que tanto nos incomoda é esse mesmo? Eu apostaria na seguinte questão: Ser ou Estar?
Sim, por que somos seres mutáveis e a vida é muito dinâmica. Hoje somos isso, amanhã somos tão diferentes do que somos hoje. Então prefiro pensar que estamos, ao invés de sermos.
O verbo Ser me dá uma sensação de enquadramento ou limitação. Lembra-me aquela música: “Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim... Gabriela.” Odeio essa síndrome da Gabriela. Meu Deus, como é bom a gente poder mudar. Lógico se for pra evoluir, porque retroceder, ninguém merece, né?
A vida nos apresenta tantas coisas o tempo todo... Novos desafios, novas oportunidades e, principalmente, a ousadia de nos mostrar o quanto somos capazes, mais que imaginamos ser. Ela é dinâmica, mas de uma sabedoria única, de forma que hoje acreditamos ser algo, mas em muito pouco tempo, nos descobrimos outro. Outra postura, outro jeito de pensar e encarar a vida, outro molde, outro formato... algo que vai sendo mudado com as experiências da vida e que vai estar sempre apto a mudar, conforme as circunstâncias.
É confortável saber que somos mutáveis, que nos adequamos. Charles Darwin já dizia que quem tem maior adaptabilidade à mudanças, sobrevive mais. E assim tem sido há milhões e milhões de anos.
Portanto, hoje quero registrar que a vida não é, ela está. Nós não somos, nós estamos. E que bom que é assim, porque concordo com Vinícius de Morais quando diz “Sei lá, sei lá... A vida é uma grande ilusão. Sei lá, sei lá... só sei que ela está com a razão.”
Então, que estejamos sempre crescendo, evoluindo, nos tornando melhores, que estejamos sempre olhando pra dentro, sem desprezar o que se mostra fora, respeitando o outro e caminhando com amor, fé, saúde e paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário