quinta-feira, 22 de maio de 2014

Conversando com Deus



Digam o que quiserem, pensem o que achar que devem, mas eu converso com Deus.
Antes de qualquer coisa preciso dizer que minha religião é Amor, apesar de ser católica por formação, parte da família ser evangélica, outra parte espírita e ter amigos ateus e de outras religiões como Umbanda e Candomblé. Respeito cada uma dessas pessoas com suas escolhas religiosas, até porque o que me importa mesmo é a espiritualidade que cada um cultiva dentro de si. Lembrando que a boca só fala aquilo que o coração está cheio, assim como nossas ações.
Portanto, quem vos fala não é ninguém que conhece muito de Bíblia ou qualquer desses instrumentos que as igrejas usam para evangelizar seus fiéis. O que eu vou escrever é baseado em experiências diárias, repetidas vezes, de uma vida inteira. “Coisas de Taiza Renata”, como tantos amigos me dizem.
Eu converso com Deus. Não estou falando da reza mecânica dos católicos, muito menos da entrega dramática do evangélico, mas de um amigo que tenho, próximo, fiel, companheiro, parceiro que eu converso de tudo mesmo. Não tenho o menor receio de tratar com Ele sobre qualquer assunto. Gente, quando digo “tudo”, quero dizer TUDO!
E aí, quando converso com Ele, sabe o que acontece? Ele me responde. (Oh oh... Agora ela pirou de vez! Rsrs...) E ele me responde tão prontamente que eu tenho medo de fazer pedidos. Por isso, tenho agradecido tanto, por tantas coisas que Ele me proporciona, me ajuda, me acompanha, me guarda, me protege, me honra. Muitas coisas nem preciso pedir, ele me dá, pura e simplesmente, de graça.
Confesso que, em algumas épocas (curtas), falo menos com Ele. Isso me faz falta! Quando isso acontece, Ele me chama. Ele conversa comigo. Ele me atenta, me cerca, me procura e me acha. (Pronto! Agora pode mandar internar a bichinha! Rsrs...)
O fato é que é muito bom saber que tem algo muito maior que te protege, te absorve, está contigo o tempo todo, algo em que você pode se apoiar quando se sente sozinha no mundo. Alguém que você possa falar das suas coisas mais íntimas, sem ser julgada ou criticada. Momentos em que, junto com essa energia, você possa sentir uma paz tamanha que transborda todo o seu ser. É um verdadeiro aconchego para a alma.
Por tudo isso, sigo agradecendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário