segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Feiura X Gordura



Esses dias, sentada com umas amigas numa pizzaria, uma delas soltou uma que eu amei: “Ser feia é culpa do seu pai e da sua mãe. Agora, ser gorda, é relaxo! ”. Rimos muito, mas é a pura verdade. Se você nasceu feia é porque sua genética deu nisso. Não há muito o que fazer, apesar dos inúmeros recursos estéticos disponíveis no mercado hoje. Mas, ser gorda???

Eu, como ex-obesa mórbida, posso falar de carteirinha. A frase que mais ouvi na minha vida foi: “Você é tão linda de rosto!!!” Eargh!!! Que raiva!!!

Nesse mundo onde o protótipo de beleza são as mulheres magras, quase raquíticas, secas, sem cintura, qualquer pneuzinho aparente pode ser o tormento da mulherada. Trocaram as curvas pelas retas, logo numa sociedade que, de reta, não tem nada.

E entre mulheres, sabe como é... A competição rola solta. Tenho um amigo que diz que as mulheres se arrumam, não para seus homens, mas para serem apreciadas por outras mulheres. Eu, que sempre me arrumei pra mim mesmo, briguei horrores com ele, mas com o tempo a gente vai entendendo que o mundo é muito diferente de nós e acabo concordando com meu amigo.

Você pode ser feia, mas se der um trato no visual, um toque no estilo, você fica bem na fita. Há quem diga que não existe mulher feia, existe mulher pobre. Mas se for gorda... esquece!!! Você pode ser linda, inteligente, batalhadora, bem resolvida... mas é gorda! Ou seja, de nada adianta.

As pessoas não querem saber o motivo pelo qual você engordou. Você pode ter um distúrbio hormonal, pode estar tomando corticóide, fazendo quimioterapia... seja o que for, as pessoas vão te ver como uma comilona relaxada.

E aí? Quando gorda, o que fazer? Mil conselhos vão aparecer: sopa de não sei o que, remedinho que mata rato aqui, outro que queima gordura e os seus neurônios ali, massagem corporal ou drenagem linfática, aplicacão de enzimas... Mas essa luta pelo corpo perfeito não para.

Chega, minha gente!!! Vamos dar mais valor a nós mesmos e deixar de lado o que os outros pensam ou fazem. O chavão “aparências, nada mais” tem que acabar.

E à minhas companheiras gordinhas, gosto de dizer que não é gordura, é excesso de gostosura. Deliciem-se!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário