segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Pequenos gestos


É curioso observar como a vida nos oferece resposta aos mais variados questionamentos do cotidiano. 

Vejamos...

A mais longa caminhada só é possível passo a passo.

O mais belo livro do mundo foi escrito letra por letra. 

Os milênios se sucedem, segundo a segundo. 

As mais violentas cachoeiras se formam de pequenas fontes. 

A imponência do pinheiro e a beleza do ipê começaram ambas na simplicidade das sementes. 

Não fosse a gota e não haveriam chuvas. 

O mais singelo ninho se fez de pequenos gravetos e a mais bela construção não se teria efetuado senão a partir do primeiro tijolo. 

As imensas dunas se compõem de minúsculos grãos de areia. 

Como já refere o adágio popular, nos menores frascos se guardam as melhores fragrâncias. 

É quase incrível imaginar que apenas sete notas musicais tenham dado vida à "Ave Maria", de Bach, e à "Aleluia", de Hendel. 

O brilhantismo de Einstein e a ternura de Madre Tereza de Calcutá tiveram que estagiar no período fetal e nem mesmo Jesus, expressão maior de Amor, dispensou a fragilidade do berço.

Assim também o mundo de paz, de harmonia e de amor com que tanto sonhamos só será construído a partir de pequenos gestos de compreensão, solidariedade, respeito, ternura, fraternidade, benevolência, indulgência e perdão, dia a dia. 

Ninguém pode mudar o mundo, mas podemos mudar uma pequena parcela dele: esta parcela que chamamos de "Eu". 

Não é fácil nem rápido, mas vale tentar!

(Desconheço a autoria)

Nenhum comentário:

Postar um comentário