domingo, 31 de julho de 2011

Nova fase


Há um bom tempo venho aspirando mudanças na minha vida. Não que ela estivesse ruim, pelo contrário. Minha vida é sempre muito boa e sou uma pessoa muito feliz com o que sou e com o que tenho. Agradeço a Deus todos os dias pela abundância de coisas boas que existem em minha vida. Sinto-me realmente privilegiada com tudo disso.

O fato é que eu percebo muito nitidamente os ciclos que a vida me traz. Um se fecha e outro se abre, como aquelas cortinas vermelhas de veludo que se fecham ao fim de um espetáculo, mas estão sempre prontas a abrir para uma nova peça. E, claro, o som que se ouve é sempre de aplausos. Porque tenho a certeza que as mudanças acontecem sempre pra melhorar nossa vida e quem somos.

De tempos em tempos, eu sinto forte dentro de mim essa necessidade de mudança, essa busca pelo novo. Sou uma pessoa movida a novos desafios, outras pessoas, diferentes lugares, momentos que com certeza me farão crescer de alguma forma.

Estou em uma nova fase. É como se tivesse me transformando numa nova pessoa. E é engraçado como venho movimentando tudo há algum tempo. Comecei mexendo no meu corpo, colocando tudo no lugar. Era um desejo que já existia há dez anos, mas que, por algum motivo, a atitude só veio agora, ano passado.

Também havia quase cinco anos que queria me mudar de casa, mas só no início desse ano é que foi concretizado. E, de lambuja, troquei também o meu carro. 

De repente, os rumos do meu trabalho também foram mudando. Eu percebia o movimento, mas não sabia muito bem pra onde ir, apesar de estar pronta e preparada para o plano A, B ou C que me aparecesse. Até que eu comecei a apontar o meu caminho, decidir o que queria fazer, a forma e calcular o tempo para o alcance dos meus objetivos.

Foi aí que o Universo me respondeu. Conspirou com uma força tão grande, encaminhou tudo da melhor maneira e, apesar da reviravolta que ocorreu em minha vida, em todas as suas áreas, o novo se abre à minha frente. A estrada da felicidade começa agora a ser trilhada. Não sei muito bem o que vou encontrar ao fim dela, embora faça uma boa idéia do que seja. Mas o bacana é que estou caminhando pela estrada da felicidade. Sinto plenitude transbordando em tudo! Ouvi dizer uma vez que a felicidade não é o destino e sim o caminho. Nele estou.

Sinto ser o momento de realizar outros desejos que não eram tão latentes e que agora me instigam a concretizá-los. "Coisas minhas, talvez você nem queira ouvir", como diz a música de Ana Carolina. O mais intrigante é que não sinto um pingo de ansiedade, essa que me acompanha por toda a vida. Onde será que ela se escondeu? Será que foi embora com as minhas incertezas? Tomara que sim.

Quero continuar escrevendo, abrindo minha torneira de letrinhas e compartilhando com os amigos e familiares, presentes ou virtuais, sentindo a energia das pessoas, que é o que me abastece de verdade.

Foi por isso que outra mudança recente foi de profissão, deixei de ser administradora e voltei a ser estudante. Vou fazer faculdade de Psicologia a partir desse semestre, pois uma das definições claras que me apareceram nesses últimos tempos é que minha missão de vida é ajudar as pessoas. Já tenho feito isso durante toda a minha vida, mas agora quero também ajudar pessoas que não conheço e que cruzarão a minha por uma razão divina e certa, a qual desconheço ainda. 

Espero que, com ferramentas profissionais,  sendo orientada e dirigida por pessoas já experientes nessa área eu possa crescer na minha busca de fazer da minha missão de vida, o meu motivo de viver.

Então, que venha essa nova e maravilhosa fase!!! Bem vinda!!! Sempre...

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Por que estamos aqui?

Não é nenhuma novidade que dinheiro, viagens, status, beleza e outras coisinhamundanas são sonhos de consumo de muita gente, mas não dão sentido à vida de ninguém. 


A única coisa que justifica nossa existência são as relações que a gente constrói. 

Só os afetos é que compensam a gente percorrer uma vida inteira sem saber de onde viemos e para onde vamos. 

Diante da pergunta enigmática - por que estamos aqui? - só nos consola uma resposta...

Para dar e receber abraços, apoio, cumplicidade, para nos reconhecermos um no outro, para repartir nossas angústias, sonhos, delírios. 

Para amar, resumindo. 

(Texto de Martha Medeiros)

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Eu sou capaz!



Você conhece a lenda do rito de passagem da juventude dos índios Cherokees? 

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho. 

O filho se senta sozinho no topo de um montanha toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.  Ele não pode gritar por socorro para ninguém. 

Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem. Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentandoo medo do desconhecido. O menino está naturalmente amedrontado. Ele pode ouvir toda espécie de barulho.

Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele. Talvez alguns humanos possam feri-lo. Os insetos e cobras podem vir pica-lo. Ele pode estar com frio, fome e sede. O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele se senta estoicamente, nunca removendo a venda.

Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem. 

Finalmente… após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida. Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele. Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo.

Nós também nunca estamos sozinhos! Mesmo quando não percebemos Deus está olhando para nós, ‘sentado ao nosso lado’. Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar que ELE está nos protegendo.

Moral da história: Apenas porque você não vê Deus, não significa que Ele não esteja conosco. Nós precisamos caminhar pela nossa fé, não com a nossa visão material.

(Desconheço a autoria)

terça-feira, 26 de julho de 2011

Coisas que a vida ensina...



 
Amor não se implora, não se pede, não se espera... Amor se vive, ou não.

Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.

Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para mostrar ao homem o que é fidelidade.

Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.

As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.

Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.

Água é um santo remédio.

Deus inventou o choro para o homem não explodir.

Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.

Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.

A criatividade caminha junto com a falta de grana.

Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.

Amigos de verdade nunca te abandonam.

O carinho é a melhor arma contra o ódio.

As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.

Há poesia em toda a criação divina.

Deus é o maior poeta de todos os tempos.

A música é a sobremesa da vida.

Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.

Filhos são presentes raros.

De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças acerca de suas ações.

Obrigado, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que abrem portas para uma vida melhor.

O amor... Ah, o amor...

O amor quebra barreiras, une facções, destrói preconceitos, cura doenças...

Não há vida decente sem amor!

E é certo, quem ama, é muito amado.

E vive a vida mais alegremente...

(Texto de Artur da Távola)

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Novo dia


Podemos acreditar que tudo que a vida nos oferecerá no futuro é repetir o que 
fizemos ontem e hoje. 

Mas, se prestarmos atenção, vamos nos dar conta de que nenhum dia é igual a outro. 

Cada manhã traz uma benção escondida; uma benção que só serve para esse dia e que não se pode guardar nem desaproveitar. Se não usamos este milagre hoje, ele vai se perder.

Este milagre está nos detalhes do cotidiano.

É preciso viver cada minuto porque ali encontramos a saída de nossas confusões, a alegria de nossos bons momentos, a pista correta para a decisão que tomaremos.

Nunca podemos deixar que cada dia pareça igual ao anterior porque todos os dias são diferentes, porque estamos em constante processo de mudança.

(Texto de Paulo Coelho)

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Viver despenteada


Hoje aprendi que é preciso deixar que a Vida te despenteie. Por isso decidi aproveitar a Vida com mais intensidade.

O mundo é louco, definitivamente louco…

O que é gostoso, engorda. 

O que é lindo, custa caro.

O sol que ilumina o teu rosto enruga.

E o que é realmente bom dessa vida é o que Despenteia.

Fazer amor, despenteia.

Rir às gargalhadas, despenteia.

Viajar, voar, correr, entrar no mar, despenteia.

Tirar a roupa, despenteia.

Beijar à pessoa amada, despenteia.

Brincar, despenteia.

Cantar até ficar sem ar, despenteia.

Dançar até duvidar se foi boa idéia colocar aqueles saltos gigantes essa noite, deixa seu Cabelo irreconhecível…

Então, como sempre, cada vez que nos vejamos eu vou estar com o cabelo bagunçado.

Mas pode ter certeza que estarei passando pelo momento mais feliz da minha vida.

É a lei da vida: sempre vai estar mais despenteada a mulher que decide ir no primeiro carrinho da montanha russa, que aquela que decide não subir.

Pode ser que me sinta tentada a ser uma Mulher impecável, toda arrumada por dentro e por fora.

O aviso de páginas amarelas deste mundo exige boa presença:

Arrume o cabelo, coloque, tire, compre, corra, emagreça, coma coisas saudáveis, caminhe direito, fique séria…

E talvez deveria seguir as instruções, mas quando vão me dar a ordem de ser feliz?

Por acaso não se dão conta que para ficar bonita eu tenho que me sentir bonita? A pessoa mais bonita que posso ser!

O único que realmente importa é que ao me olhar no espelho, veja a mulher que devo ser.

Por isso, minha recomendação a todas as mulheres:

Entregue-se, coma coisas gostosas, beije, abrace, dance, apaixone-se, relaxe, viaje, pule, durma tarde, acorde cedo, corra, voe, cante, arrume-se para ficar linda, arrume-se para ficar confortável.

Admire a paisagem, aproveite, e acima de tudo, deixa a vida te despentear!

O pior que pode passar é que, rindo frente ao espelho, você precise se pentear de novo...


(Desconheço a autoria)

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Um amor de verdade


Viver uma verdadeira experiência amorosa é um dos maiores prazeres da vida. Gostar é sentir com a alma, mas expressar os sentimentos depende das idéias de cada um. Condicionamos o amor às nossas necessidades neuróticas e acabamos com ele. Vivemos uma vida tentando fazer com que os outros se responsabilizem pelas nossas necessidades enquanto nós nos abandonamos irresponsavelmente.

Queremos ser amados e não nos amamos, queremos ser compreendidos e não nos compreendemos, queremos o apoio dos outros e damos o nosso a eles. Quando nos abandonamos, queremos achar alguém que venha a preencher o buraco que nós cavamos. A insatisfação, o vazio interior se transformam na busca contínua de novos relacionamentos, cujos resultados frustrantes se repetirão.

Cada um é o único responsável pelas suas próprias necessidades. Só quem se ama pode encontrar em sua vida Um Amor de Verdade .

(Texto de Zíbia Gasparetto)

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Sou...


Sou pessoa de dentro pra fora. 
Minha beleza está na minha essência e no meu caráter. 
Acredito em sonhos, não em utopia. 
Mas quando sonho, sonho alto. 
Estou aqui é pra viver, cair, aprender, levantar e seguir em frente.
Sou isso hoje...
Amanhã, já me reinventei.
Reinvento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim.
Sou complexa, sou mistura, sou mulher com cara de menina... 
E vice-versa. 
Me perco, me procuro e me acho. 
E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar...
Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga nem teu quase amor.
Ou sou tudo ou sou nada. 
Não suporto meio termos. 
Sou boba, mas não sou burra. 
Ingênua, mas não santa. 
Sou pessoa de riso fácil...e choro também!

(Texto de Tati Bernardi)

terça-feira, 19 de julho de 2011

Estrelas


As pessoas tem estrelas

que não são as mesmas.

Para uns que viajam,

As estrelas são guias.

Para outros, elas não passam

de pequenas luzes.

Para outros os sábios, são problemas.

Para o meu negociante, eram ouro.

Mas todas essas estrelas se calam.

Tu porém terás estrelas como ninguém (...)

quando olhares o céu de noite,

porque habitarei numa delas,

porque numa delas estarei rindo,

então será como se todas as

estrelas te rissem!

E tu terás estrelas que sabem rir!


(Antoine de Saint-Exupéry)

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Torradas queimadas


Quando eu ainda era um menino, ocasionalmente, minha mãe gostava de fazer um lanche, tipo café da manhã, na hora do jantar. 

E eu me lembro especialmente de uma noite, quando ela fez um lanche desses, depois de um dia de trabalho, muito duro.

Naquela noite longínqua, minha mãe pôs um prato de ovos, linguiça torradas bastante queimadas, defronte ao meu pai. Eu me lembro de ter esperado um pouco, para ver se alguém notava o fato. Tudo o que meu pai fez, foi pegar a sua torrada, sorrir para minha mãe e me perguntar como tinha sido o meu dia, na escola.


Eu não me lembro do que respondi, mas me lembro de ter olhado para ele lambuzando a torrada com manteiga e geléia e engolindo cada bocado.

Quando eu deixei a mesa naquela noite, ouvi minha mãe se desculpando por haver queimado a torrada. E eu nunca esquecerei o que ele disse:

- Amor, eu adorei a torrada queimada... só porque veio de suas mãos.

Mais tarde, naquela noite, quando fui dar um beijo de boa noite em meu pai, eu lhe perguntei se ele tinha realmente gostado da torrada queimada. Ele me envolveu em seus braços e me disse:

- Companheiro, sua mãe teve um dia de trabalho muito pesado e estava realmente cansada... Além disso, uma torrada queimada não faz mal a ninguém. A vida é cheia de imperfeições e as pessoas não são perfeitas. E eu também não sou o melhor marido, empregado, ou cozinheiro!

O que tenho aprendido através dos anos é que saber aceitar as falhas alheias, escolhendo relevar as diferenças entre uns e outros, é uma das chaves mais importantes para criar relacionamentos saudáveis e duradouros. 

Desde que eu e sua mãe nos unimos, aprendemos, os dois, a suprir um as falhas do outro. 

Eu sei cozinhar muito pouco, mas aprendi a deixar uma panela de alumínio brilhando, ela não sabe usar a furadeira, mas após minhas reformas, ela faz tudo ficar cheiroso, de tão limpo. Eu não sei fazer uma lasanha de frios como ela, mas ela não sabe assar uma carne como eu. 

Eu nunca soube fazer você dormir, mas comigo você tomava banho rápido, sem reclamar e brincávamos juntos durante este tempinho, com sua mãe você chorava, pelo shampoo, pelo pentiar, etc.

A soma de nós dois monta o mundo que você recebeu e que te apoia, eu e ela nos completamos. Nossa família deve aproveitar este nosso universo enquanto temos os dois presentes. Não que mais tarde, o dia que um partir, este mundo vá desmoronar, não vai, novamente teremos que aprender e nos adaptar para fazer o melhor. 

De fato, poderíamos estender esta lição para qualquer tipo de relacionamento: entre marido e mulher, pais e filhos, irmãos, colegas e com amigos.

Não ponha a chave de sua felicidade no bolso de outra pessoa, mas no seu próprio. Veja pelos olhos de Deus e sinta pelo coração dele; você apreciará o calor de cada alma, incluindo a sua.

As pessoas sempre se esquecerão do que você lhes fez, ou do que lhes disse. Mas nunca esquecerão o modo pelo qual você as fez se sentir.


(Desconheço a autoria)

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Eu...


Eu tenho um mundo lindo dentro de mim
Eu sou tão sincera que não acredito que os outros possam mentir para mim
Eu me entrego tanto, que estranho quando não se entregam também a mim
Eu sou tão transparente, que denuncio tudo o que estou sentindo
E eu sou tão intensa que as pessoas, às vezes, têm medo de mim.

Eu não sei viver fingindo ser quem não sou
E nem vou negar os meus sentimentos para fazer joguinhos
Isso não é de mim,
Que ninguém espere isso de mim.

E que ninguém confunda minha entrega com desespero,
Porque eu me amo e sei do valor que eu tenho.
Eu sou o que sinto e vivo o que penso.
Quebro a cara, mas me reconstruo.

Não tenho medo de amar
E nem tenho vergonha de me expressar.
Quero da vida tudo o que ela possa me oferecer
E, se vierem lágrimas,
Deixarei que elas escorram firmemente sobre a minha face
E depois as enxugarei,
Quantas vezes forem necessárias,
Sem nunca me arrepender de ter vivido.
 
(Texto de Odimara Quintanilha)

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Injustiça do amor


Não confie na frase de sua avó, de sua mãe, de sua irmã de que um dia encontrará um homem que você merece.

Não existe justiça no amor.

O amor não é censo, não é matemática, não é senso de medida, não é socialismo.

É o mais completo desequilíbrio. Ama-se logo quem a gente odiava, quem a gente provocava, quem a gente debochava. Exatamente o nosso avesso, o nosso contrário, a nossa negação.

O amor não é democrático, não é optar e gostar, não é promoção, não é prêmio de bom comportamento.

O melhor para você é o pior. Aquele que você escolhe infelizmente não tem química, não dura nem uma hora. O pior para você é o melhor. Aquele de quem você procura distância é que se aproxima e não larga sua boca.

Amor é engolir de volta os conselhos dados às amigas.

É viver em crise: ou por não merecer a companhia ou por não se merecer.

Amor é ironia. Largará tudo — profissão, cidade, família — e não será suficiente. Aceitará tudo — filhos problemáticos, horários quebrados, ex histérica — e não será suficiente.

Não se apaixonará pela pessoa ideal, mas por aquela que não conseguirá se separar. A convivência é apenas o fracasso da despedida. O beijo é apenas a incompetência do aceno.

Amar talvez seja surdez, um dos dois não foi embora, só isso; ele não ouviu o fora e ficou parado, besta, ouvindo seus olhos.

Amor é contravenção. Buscará um terrorista somente para você. Pedirá exclusividade, vida secreta, pacto de sangue, esconderijo no quarto. Apagará o mundo dele, terá inveja de suas velhas amizades, de suas novas amizades, cerceará o sujeito com perguntas, ameaçará o sujeito com gentilezas, reclamará por mais espaço quando ele já loteou o invisível.

Ninguém que ama percebe que exige demais; afirmará que ainda é pouco, afirmará que a cobrança é necessária. Deseja-se desculpa a qualquer momento, perdão a qualquer ruído.

Amar não tem igualdade, é populismo, é assistencialismo, é querer ser beneficiado acima de todos, é ser corrompido pela predileção, corroído pelo favoritismo. É não fazer outra coisa senão esperar algum mimo, algum abraço, algum sentido.

Amor não tem saída: reclama-se da rotina ou quando ele está diferente. É censura (Por que você falou aquilo?), é ditadura (Você não devia ter feito aquilo!). É discutir a noite inteira para corrigir uma palavra áspera, discutir metade da manhã até estacionar o silêncio.

Amor é uma injustiça, minha filha. Uma monstruosidade.

Você mentirá várias vezes que nunca amará ele de novo e sempre amará, absolutamente porque não tem nenhum controle sobre o amor.

(Texto de Fabrício Carpinejar)

terça-feira, 12 de julho de 2011

Quanto mais forte a luz, maior a sombra


Não há mais maldade, o que há é mais luz, e é sobre isso que falo agora.

Imagine que você tem um quarto, ou uma despensa, onde guarda suas coisas, iluminado por uma lâmpada de 40W. Se trocar para uma lâmpada de 100W, verá desordem e um tipo de sujeira que você nem imaginava que havia no local.

A sociedade está mais iluminada. Isto é o que está acontecendo. E isto faz com que muitas pessoas que leem estas afirmações as considerem loucura.

Percebeu que hoje em dia as mentiras e ilusões são percebidas cada vez mais rapidamente? Bom, também está mais rápido alcançar o entendimento de Deus e compreender a forma como a vida se organiza.

A nova vibração do planeta tem tornado as pessoas nervosas, depressivas e doentes. Isto porque, para poder receber mais luz, as pessoas precisam mudar física e mentalmente. Devem organizar seus quartos de despejo, porque sua consciência cada dia receberá mais luz.

E por mais que desejem evitar, precisarão arregaçar as mangas e começar a limpeza, ou terão que viver no meio da sujeira.

Esta mudança provoca dores físicas nos ossos, que os médicos não conseguem resolver, já que não veem uma doença que possa ser diagnosticada. Dirão que é causado pelo estresse. Porém isto não é real. São apenas emoções negativas acumuladas, medos e angústias, todo o pó e sujeira de anos que agora está sendo visto para ser limpo.

Algumas noites as pessoas acordarão e não conseguirão dormir por algum tempo. Não se preocupem. Leiam um livro, meditem, assistam TV. Não imaginem que algo errado ocorre. Você apenas está assimilando a nova vibração planetária. No dia seguinte seu sono ficará normal, e não sentirá falta de dormir.

Se não entender este processo, pode ser que as dores se tornem mais intensas e você acabe com um diagnóstico de fibromialgia, um nome que a medicina deu para o tipo de dores que não tem causa visível. Para isto não existe tratamento específico – apenas antidepressivos, que farão com que você perca a oportunidade de mudar sua vida.

Uma vez mais, cada um de nós precisa escolher que tipo de realidade deseja experimentar, porém sabendo que desta vez os dramas serão sentidos com mais intensidade; assim como o amor. Quando aumentamos a intensidade da luz, também aumentamos a intensidade da escuridão, o que explica o aumento de violência irracional nos últimos anos.

Estamos vivendo a melhor época da humanidade desde todos os tempos. Seremos testemunhas e agentes da maior transformação de consciência jamais imaginada.

Informe-se, desperte sua vontade de conhecer estas questões. A ciência sabe que algo está acontecendo, você sabe que algo está acontecendo. Seja um participante ativo. Que estes acontecimentos não o deixem assustado, por não saber do que se trata.

(Texto de Satya Sai Baba)