sexta-feira, 17 de junho de 2011

Já parou pra pensar no seu tamanho?


Não falo de estatura, aquela que se define em baixa, alta ou mediana. Estou falando do seu tamanho de alma, da sua grandeza, da sua nobreza de espírito, do seu caráter. Estou falando daquilo que te faz gente de verdade. Claro que a espécie de gente é escolha de cada um.

No caminho do escritório, ouvindo Maria Gadu, um pedaço me chamou muita atenção: “se quer tamanho, eu vou cuspir a alma”. Esse é o meu espírito hoje: cuspir a alma e afogar a calma. Algo me diz que hoje estou mais impulsiva, mais corajosa, mais pró ativa. Risos.

Não tenho medo de mostrar o meu tamanho, mesmo sabendo que não sou nenhuma gigante. Ao contrário, estou longe disso. Mas tenho transparência nas minhas atitudes e sou franca até demais. Nas palavras não, confesso. Sou mais despreocupada e vivo brincando com elas. Há quem diga que preciso tomar cuidado com isso. Adoro uma polêmica, falar besteira, falar o que não faço. Pelo menos, sou o que sou. E sei que atitudes valem mais que palavras. Então, quem me conhece de verdade, sabe exatamente qual é o meu tamanho.

As pessoas definem o tamanho do outro baseado em seus próprios valores. Assim, alguns acham que grande é aquele homem (ou mulher) rico, que anda de carrão, mora numa mansão, tem um ótimo emprego que lhe dê um bom salário e um status social, anda sempre usando as grandes marcas, faz viagens constantes, freqüenta os melhores lugares. Na nossa sociedade, sem a menor sombra de dúvidas, a pessoa endinheirada faz-se respeitar pelo que paga.

Para mim, o grande homem tem que começar tendo coragem. Coragem de assumir quem realmente é, ter compaixão pelas pessoas, agir sempre em prol do bem, ser humilde acima de qualquer coisa, ser verdadeiro consigo e com as pessoas que convive.

Não é uma tarefa fácil, mas só o fato da pessoa querer melhorar a cada dia, só de perceber seus defeitos, já dá um grande passo para aumentar o seu tamanho. Reconhecer-se de fato! Não burlando as coisas ou tentando enganar aos outros porque, quando isso acontece, estamos nos enganando acima de tudo.

Hoje li uma frase que achei perfeita: “A sabedoria camuflada é a burrice estampada”. Nossa! Conheço pessoas que tentam passar uma imagem de sabedoria, ações de sabedoria, palavras de sabedoria, mas são completamente fracos, pois é apenas uma fachada. A fraqueza de caráter não combina e não comunga com a sabedoria. A sabedoria é coisa pra fortes. Mas não confundam fortaleza com impulsividade. Tem que ser muito sábio pra saber a hora de ser impulsivo, o que mostra a mim mesma o quanto preciso aumentar tanto o meu tamanho nesse quesito.

Tem uma música da Zélia Duncan chamada “Alma” que diz: “deixa eu ver sua alma... deixa eu tocar sua alma... fique sim livre, fique bem com razão ou não, aterrise”. Aterrisar em nós mesmos, nos conhecermos, tentarmos aumentar o nosso tamanho, nos tornarmos pessoas melhores, ter a coragem de sermos nós mesmos, de assumir nossos erros, de ter a humildade de pedir perdão, agir com o coração cheio de amor...

São tantas as maneiras de aumentar nosso tamanho! E como ainda sou tão pequena. Quanto maior penso que sou, mais entendo que tenho tanto a crescer. Pelo menos, não tenho mais o tamanho de uma formiga, de uma ervilha, muito menos de um rato. Disso tenho certeza. Sinto estar no caminho certo, tomando atitudes necessárias para o meu crescimento como pessoa, em prol do bem e das pessoas que comigo estão nessa caminhada, mesmo que temporariamente, pois sei também que tudo é transitório.

Um comentário:

  1. OLÁ TAIZA, MUITO BOM ESTE SEU PENSAMENTO, QUAL O NOME DO AUTOR DA FRASE CITADA POR VOCÊ NESTA POSTAGEM.

    ResponderExcluir