segunda-feira, 16 de maio de 2011

Facebook



Desde que comecei a usar o Facebook, larguei de lado meu Orkut, pela interatividade que ele oferece. Muita gente, inclusive, deixou de ser "orkuteiro", excluindo definitivamente sua página, mas tenho amigos que não têm os dois, por isso optei por continuar com os dois. São amigos que fiquei muito feliz por encontrar depois de anos, mesmo que virtualmente, e que eu não gostaria de perder esse mínimo contato que seja.

Numa sexta-feira à noite fiquei em casa pelo cansaço da semana e acabei por fazer contato com muitos amigos. Impessoal? Exposição demais? Pode ser. Mas eu acho muito legal o fato de poder ter uma rede social com amigos ou parentes que moram longe, que não vejo há anos e que, nem por isso, gosto menos. Se não fosse a interação das redes sociais, eu não teria contato com essas pessoas hoje. E mais! Eu não as teria reencontrado pessoalmente, como em muitos casos já marcamos de encontrar e matar a saudade e atualizar as fofocas.

Por falar em fofoca, nessa noite, saiu uma imagem que dizia: "Diga não às fofocas. Campanha pela vida. Cada um cuida da sua." Adorei isso! Tem coisa pior que fofoca? Porque fofoca não é uma história contada. É sempre sobre a vida de alguém, geralmente uma pessoa que você não tem nada com a vida dela, fica ali falando, julgando, arrumando soluções e a tal pessoa nem está sabendo da ocorrência daquela conversa. E daí tem aquela história: quem conta um conto, aumenta um ponto. A coisa vai tomando uma dimensão enorme entre os fofoqueiros de plantão e só pára quando chega em alguém que, como eu, não suporta venenos alheios pelas costas.

O interessante foi compartilhar essa imagem no Facebook e ter tantos adeptos. Muitos curtiram, outros comentaram e alguns compartilharam em seus perfis. Achei bacana porque redes sociais são fonte de recursos para os fofoqueiros. E as pessoas expõe sim os seus "achismos", seus pensamentos, sentimentos, locais por onde esteve e por aí vai.

Meu Facebook fica ligado boa parte do dia. Sempre que vejo alguma notificação, abro pra saber o que é, leio, curto, respondo, compartilho… enfim, fico conectada à minha rede social. Lógico que eu preciso estar com tempo hábil pra isso, mas faço questão de fazê-lo. 

Porém, pra quem não conhece ou que ainda não tem muita intimidade com o Facebook, ficam algumas dicas: procure estar sempre entrando em suas configurações de segurança. Só permita que amigos que você convidou ou aceitou vejam suas fotos e publicações. É possível também que você libere (ou oculte) informações para determinadas pessoas, afinal, tem amigos que são muito distantes que você realmente não tem interesse que participem da sua vida mais de perto. Também procure não ficar amigo de lojas, confeitarias, sites promocionais porque são desconhecidos que passam a ter acesso à sua vida pessoal - ótima lacuna para bandidos. Você pode também curtir páginas que vão estar publicando coisas em suas páginas que você terá acesso na sua página, mas que não vão poder estar lendo suas publicações.

Tomando as providências necessárias, você pode (e deve) ter sua rede social, interagir com as pessoas, conhecer novos produtos, alavancar novas idéias, matar saudades de pessoas queridas, reencontrar amigos e parentes que pareciam ter ficados perdidos pela vida e tantos outros benefícios.

Só tome cuidado, porque é o vício do mundo moderno. Você pode perder muito do seu bom tempo "fuçando" a vida alheia e se reconhecendo um belo fofoqueiro. Ai, meu Deus! Mais um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário