segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A Unidade


Sempre tive muita curiosidade a respeito do que é e como funciona uma Maçonaria. Acho que é por existir todos esses códigos, símbolos e todo esse mistério que o envolve. Gosto desses grupos organizados onde as pessoas se encontram para se melhorarem como pessoas e ajudarem o próximo. Então, um amigo me mandou esse texto, o que dá uma ilustrada no que vem a ser Maçonaria e amenizar um pouco a alma dos curiosos como eu.

"O mundo é Unidade e o homem é uma replica deste mundo.
Conhecer-te a ti mesmo é conhecer as coisas do GADU”.
Ir:. João Francisco Guimarães

Introdução:

Unidade: qualidade do que é um ou único; união; ação coletiva tendente a um único fim; uniformidade; quantidade convencional que se toma para termo de comparação entre grandezas de mesma espécie, unidade de referência.
A Unidade requer esforço e perseverança em sua busca.
Homem, ser uno, único e singular.
Deus, o universo, a fonte criadora, o conjunto de tudo que existe, a Unidade.
Progredindo em busca de ser uno, integral e feliz, o ser humano inexoravelmente reconhecerá a presença de Deus no seu íntimo, bem como no Universo. A conexão destas duas realidades o intuirá a idéia da unidade universal. Somos todos parte de uma só realidade, uma Unidade.

O Ser Humano em Busca de sua Felicidade – Um Ser Uno:

A busca da felicidade é inerente à condição humana; todo ser humano busca viver melhor. Esta busca, inicialmente focada em aspectos externos ao ser (bens materiais, status, paixões) – a felicidade que vem de fora, com o amadurecimento se voltará para o Eu Interior, reconhecerá suas limitações e buscará desenvolver virtudes (tolerância, amor fraterno, disciplina, perseverança e equilíbrio).
Ao consumir continuamente energias em busca da felicidade no exterior, sem obter os resultados esperados, o homem reconhece que a falha está em sua atitude, pois o Estado de Felicidade é intrínseco ao seu Eu, independente de fatores externos aos quais fomos condicionados a associar a felicidade.
É a manutenção de um estado de espírito adequado - o equilíbrio interior e sua postura mental - que dará ao ser humano a condição de ser feliz em sua caminhada terrena. Felicidade e equilíbrio caminham juntos, se retroalimentam e nos estimulam a nos mantermos no caminho da Luz.
O ser humano é uma entidade multifaciada, o reconhecimento desta realidade é condição básica para o desenvolvimento do equilíbrio pessoal. Os aspectos físico, mental, emocional e espiritual são facetas identificadas de um mesmo ser, o Homem.
O desenvolvimento não se dará por meio de um destes aspectos isoladamente, desenvolvê-los harmonicamente é a chave para o crescimento constante e equilibrado. Ao entender esta realidade o Homem adquirirá a consciência da Unidade do seu ser, um ser holístico em busca do exercício do seu múltiplo potencial.

O Homem Social – A Unidade Ampliada:

Mas, o Homem não vive só. O Homem vive em sociedades: família, empresa, igreja, grupo de amigos e associações.
O Homem auto-consciente, convivendo em sociedade, constata que seu objetivo de vida – ser feliz - é compartilhado pelos demais; o que os difere é a maneira de buscar este objetivo, a busca pela auto-realização. Enquanto uns ainda estão na fase da busca da felicidade no mundo exterior frívolo e passageiro, outros trilham diferentes caminhos em busca do “conhecer-te a ti mesmo”.
Se a realização é um processo interior e todos, de fato, buscamos este mesmo objetivo, na realidade não existe competição entre os seres humanos. A competição humana, decorrente da busca externa da felicidade, é uma ilusão daqueles homens que ainda não identificaram seu caminho, ainda não reconheceram sua porção divina. É uma questão de tempo; a sucessão de experiências e o emprego da energia necessária ao efetivo aprendizado e à evolução nos levarão à consciência podemos caminhar juntos, lado a lado, como Irmãos, repletos de amor fraterno e cientes que todos realizaremos nosso destino: o pleno exercício de nosso potencial divino.
Conscientes disto, seremos uma Unidade. Nós, seres humanos, somos viajantes de uma mesma viagem, um mesmo caminho, uma mesma nave: a Humanidade, a Unidade de todos os Homens.

Deus – O Universo Uno:

Deus, o universo, a fonte criadora, o conjunto de tudo que existe.
O exercício da Unidade nos coloca em contato com o Divino que existe em cada um de nós; ainda imperfeitos, podemos reconhecer a porção divina existente em cada semelhante. Somos espelhos inacabados de Deus, carentes de uma longa caminhada em busca da elevação.
Mas somos parte de um mesmo todo, o Universo, a Criação Divina.
Deus está presente em toda sua obra, e ao reconhecermos isto vislumbramos a Unidade do Universo, fato impossível de ser vivenciado pelo Homem seccionado, segmentado e preso às paixões mundanas e distante do seu Eu Divino.
Irmãos, que nós estejamos atentos, pois a ciência caminha rapidamente para a comprovação, via física quântica, do que a fé nos faz crer de maneira inata: a interdependência de toda a Criação. No dia que a ciência comprovar a fé. a humanidade terá dado um enorme salto em direção à consciência Divina e Universal.

A Unidade na Maçonaria:

“Ó! Quão Bom e Quão Suave É Viverem Unidos os Irmãos”.
A Loja cujos Irmãos recebem estas palavras sagradas em seus corações e as praticam é verdadeiramente uma Loja Maçônica, pois é formada por Maçons genuínos.
A maçonaria, como instituição essencialmente iniciática, filosófica, progressista e evolucionista, que proclama a prevalência do espírito sobre a matéria, que oferece a seus iniciados os ensinamentos necessários ao exercício das virtudes, coloca a Unidade em permanente destaque  entre os seus ideais.
A Maçonaria exige dos seus candidatos ao ingressar à Ordem a crença em um Ser Supremo, o G:.A:.D:.U:., que é Deus, e possibilita ao profano, durante a cerimônia de sua Iniciação refletir sobre a unicidade de Deus e da sua obra..
A Maçonaria oferece de pronto ao neófito a noção da Unidade no criador, o G:.A:.D:.U:., o ser uno e presente na consciência inata do homem. Ao analisar nossos rituais, resta claro ao maçom atento que a Maçonaria busca desenvolver a Unidade de seus iniciados e apregoa o exercício constante do conceito mais amplo de Unidade, a fraternidade Universal.

Conclusão:

Somos seres unos, integrais, com potencial Divino, parte integrante de uma Obra Divina maior - o Universo; buscamos por caminhos diversos e em ritmo próprio o mesmo objetivo: a evolução. Irrefutável é reconhecer a Unidade da Criação.
Sofremos, e fazemos sofrer, por nossas imperfeições. Longa e árdua é a caminhada que ainda nos resta. Mas temos os instrumentos para cumprimo-la em triunfo. Nossa Ordem nos ensina: trabalho, perseverança e Unidade, instrumentos eficazes para o atingimento de nossos objetivos.
O querido Ir:. João Francisco Guimarães nos ensina: “Tem que haver amor para conquistarmos a Unidade”. Concordo e reitero, tem que haver muito amor para construir a Unidade, pois somente o amor nos permite a pratica do respeito, da tolerância e da caridade moral necessária para reconhecer o Ser Divino existente por trás das imperfeições de cada Irmão, maçom ou não.

(Ir:. Fernando Dutra, Sessão Ordinária de Grau 01 - 31.10.2005)

Nenhum comentário:

Postar um comentário