quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Mais um ano


Mais um ano que termina. Dezembro chegou!

Impressionante como essa época mexe com a gente. Ficamos mais sensíveis, mais solidários, mais fraternos.

Temos sentimentos de alegria por chegar o momento de confraternizarmos com pessoas que amamos, por escolher os presentes a serem trocados com tanto carinho, por poder partilhar com quem precisa, por planejar as tão esperadas férias.

É tempo de reflexão, pois é nessa época que avaliamos o ano que passou (e como tem passado rápido!), que traçamos novas metas, que sonhamos novos sonhos, que agradecemos por tudo que nos foi dado, até as coisas ruins, pois estas nos fizeram crescer.

Para muitos, o fim do ano é uma fase mais importante do que a própria data de aniversário, porque ficamos envoltos por esse clima de espera do novo ano.

Meu ano de 2010 foi muito especial! Aconteceram muitas coisas boas em todos os campos da minha vida. Sou muito grata a Deus por isso. Parece ter sido um ano que minha consciência estava mais ativa. Isso é raro, garanto! (Risos...)

No trabalho, foi um ano muito promissor e nada estressante. Houve muito crescimento, conquistei um espaço de confiabilidade maior, aprendi coisas novas, observei muito o movimento do mercado e sinto estar mais preparada para algumas situações.

No campo do amor... ah, o amor! Esse foi intenso demais. Muitas emoções. Algumas resolvidas e definidas depois de tantos anos de incertezas, outras que ficam guardadas em mim, mas sentidas em igual intensidade pelo outro, novos amores, amores antigos agora assumidos... Pra uma pessoa como eu que vive de amor, por amor e com amor, pode-se imaginar a intensidade com que tudo foi vivido.

Ganhei muitos amigos esse ano. Muitos mesmo!!! Ganhei presentes divinos e me sinto muito ligada a essas pessoas. Por outro lado, estreitei relacionamentos de amizades há anos perdidos, ou esquecidos, embora muito verdadeiros. Coloquei tudo na ativa novamente. Minha vida social deu um “up grade” tamanho. Isso me fez muito bem, porque além de ser uma pessoa que adora gente, acredito que a amizade é uma das melhores formas de amor. Em contrapartida, enxerguei em alguns amigos coisas que me cegavam anteriormente e que já não me permito mais engolir. E como crescemos convivendo com diferenças. Muito bom!

No campo familiar, apesar de ter sido um tanto quanto conturbado, também houveram definições importantes. Os pingos nos “i”s foram colocados e sinto que, depois de tantos anos, posso me sentir uma pessoa adulta, menos mimada, estando nesse meio. Isso é difícil pra uma pessoa como eu que tem alma de criança. Mas estou caminhando. Posso melhorar ainda mais, mas sinto que jamais perderei minha ternura e carinho com todos eles, os maiores merecedores disso.

No campo da saúde, foi excelente. Acho que nunca me cuidei tanto como nesse ano. Atingi metas traçadas há mais de 10 anos e só agora realizadas. Ainda estou num processo de aceitação do meu corpo, mas tenho sido mais cuidadosa com ele, oferecendo o que ele precisa pra se sentir bem.

No meu íntimo, muitas coisas mudaram. Foi um ano bastante pensante! Algumas vezes, quase enlouqueci, devido à minha pressa pra resolver as coisas. Isso me trouxe alguma ansiedade e a oportunidade de me trabalhar ainda mais e mostrar pra mim mesma que só eu tenho o controle de mim mesma.

Penso que faltou uma coisa que é muito importante: doação. Esse foi um ano que recebi muito, mas que doei pouco. Poucas foram as minhas caridades, ajudei muito pouco as pessoas, não tive nenhuma situação em que eu pudesse fazer a diferença na vida de alguém. Isso é ruim. É como se a vida fosse me levando sem que eu pudesse fazer algo realmente consistente.

Depois de tantas avaliações, acho que, apesar de tantas dádivas, em 2011 há muito o que corrigir, buscar, descobrir e se realizar. Penso que será o ano da organização, de aquietar mais meu corpo e acender mais a chama do coração. Afinal, para mim, sem essa chama queimando cada vez mais forte, a vida perde completamente o sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário