segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Você não sabe - Roberto Carlos



Você não sabe quanta coisa eu faria além do que já fiz,
Você não sabe até onde eu chegaria pra te fazer feliz.
Eu chegaria onde só chegam os pensamentos,
Encontraria uma palavra que não existe
Pra te dizer nesse meu verso quase triste
Como é grande o meu amor...

Você não sabe que os anseios do seu coração são muito mais pra mim
Do que as razões que eu tenha pra dizer que não e eu sempre digo sim.
E ainda que a realidade me limite,
A fantasia dos meus sonhos me permite
Que eu faça mais do que as loucuras que já fiz pra te fazer feliz.

Você só sabe que eu te amo tanto,
Mas na verdade, meu amor, não sabe o quanto.
E se soubesse iria compreender
Razões que, só quem ama assim, pode entender.

Você não sabe quanta coisa eu faria por um sorriso seu,
Você não sabe até onde chegaria, amor igual ao meu.
Mas se preciso for, eu faço muito mais...
Mesmo que eu sofra, ainda assim, eu sou capaz
De muito mais do que as loucuras que já fiz pra te fazer feliz.

Sou uma pessoa interessante! A música tem o poder absoluto de me transformar, por isso, estou sempre escolhendo o estilo a ouvir conforme o momento, o local ou a companhia. Porque elas falam por mim, pra mim e me tocam profundamente, promovendo mudanças em todo o meu ser. Acho que eu sofro de “transtorno musipolar”. (Risos) São as músicas que ouço que definem o humor do momento.

Ouvindo hoje esta música, eu fiquei assim, meio boba, sentindo a amor que nela transborda, o amor pelo viver. O mesmo amor que transborda também em mim. Ela me traduziu, de certa forma, porque sou uma pessoa que ama e ama muito, várias pessoas com uma intensidade bastante incomum. Depende da época, do momento, da pessoa... mas permaneço sempre amando.

Em seus “versos quase tristes” senti um desejo de poder viver mais, amar mais, dar mais me mim, de ter a coragem de fazer coisas que ainda não fiz. O amor que sinto é tão grande, que não cabe em meu peito, e por me sentir inundada por esse sentimento que eu mesma não sei lidar, devido à sua grandeza, fico buscando formas de me sentir sempre feliz, alimentando fantasias e esperança que, de uma forma ou de outra, amansam esse leão que dentro de mim existe e o mantem adormecido.

Às vezes penso que é melhor mesmo que ele permaneça nessas condições, porque a coragem nos promove uma liberdade única e completa de ser você mesmo e assumir quem, de fato, você é e, de repente, fazer tudo o que se tem vontade, sem se importat muito com nada nem ninguém. Desnudar-se dos véus que diariamente vestimos para não sermos julgados, criticados por outrem, nessa sociedade tão hipócrita e cruel.

Quantas coisas ainda anseio dentro do meu coração e da minha alma! Porém, minhas condições de vida muitas vezes me impedem de fazer o que quero, porque posso faltar com pessoas que amo e de grande importância na minha vida. Talvez, a aceitação dos que amo ainda seja mais importante do que me aceitar como realmente sou.

Imagino que, para isso, existem as fantasias, a válvula de escape dos covardes que, como eu, não têm coragem ou arrumas as condições necessárias de realizar seus desejos mais secretos e profundos. Nesses momentos, podemos sonhar e intensamente viver. Mas onde ficam os cinco sentidos – aqueles que nos fazem constatar, comprovar e marcar todos esses devaneios? Ficam aqui, no mundo real, nas ondas béticas de nosso cérebro, escondidas em meu ser.

Ainda bem que temos outras ondas cerebrais, que também nos permitem “chegar lá”, sentir e realizar os sonhos que temos. A boa notícia é que o pensamento é energia pura e chega a qualquer lugar, sem limitação de tempo ou espaço. Ela chega, nos toca, mexe conosco e o sexto sentido, o da intuição, nos dá a certeza que o sentimento de amor é recíproco e verdadeiro, abrindo espaço para um futuro promissor, de muitas ações e amor.

Ah, você não sabe quantas coisas eu faria...

Nenhum comentário:

Postar um comentário